sábado, 23 de maio de 2009

CRIANÇAS ERAM RAPTADAS EM CAMPOS DE REFUGIADOS NO SRI LANKA

.
Crianças foram raptadas de campos de deslocados no Sri Lanka com a aprovação das autoridades, que suspeitavam que algumas tinham combatido pelos Tigres de Libertação do Eelam Tâmil (LTTE) e queriam usá-las para encontrar outros combatentes, afirmaram hoje grupos de defesa dos direitos humanos.A Coligação Contra as Crianças Soldado, sedeada em Londres, disse dispor de informações verificadas que dão conta de raptos em vários campos da região de Vavuniya, no Norte. Muitos dos raptos terão sido levados a cabo por paramilitares tâmiles aliados às autoridades de Colombo no combate ao LTTE, diz a organização, que reagrupa organizações não governamentais (ONG) e de direitos humanos como a Amnistia Internacional e a Human Rights Watch.

PRÍNCIPE TORTURADOR A CONTAS COM A JUSTIÇA

.
Imagens transmitidas nos EUA provam que Issa, além de príncipe, é um torturador. Depois de anos de impunidade, será finalmente investigado.
Primeiro, aterrorizaram-no com rajadas de metralhadora. Depois, espancaram-no com uma tábua cravejada com um prego. Seguiram-se os choques eléctricos. Para terminar, espalharam-lhe sal nas feridas abertas.
O comerciante afegão Mohammad Poor não esquecerá a tortura a que foi submetido, algures em 2005, pelo Sheik Issa Bin Zayed Al Nayhan - um príncipe do emirado de Abu Dhabi, filho do ex-presidente dos Emirados Árabes Unidos (EAU) - e por um grupo de agressores (que incluía um polícia).
Há um mês, as imagens dessa macabra sessão foram transmitidas pelo canal de televisão ABC. Seguiram-se os protestos de várias organizações humanitárias. Até que há dois dias - quatro anos depois do incidente - as autoridades dos EAU anunciaram que vão investigar o caso.
Contactados pelo Expresso, representantes da Amnistia Internacional (AI) nos EUA, congratulam-se com o comunicado, mas pedem que o processo seja independente.





quinta-feira, 21 de maio de 2009

A SEDE DA ASSOCIAÇÃO DE SURDOS DE APOIO A SURDOS DE MATOSINHOS FOI INAUGURADA PELO DR GUILHERME PINTO PRESIDENTE DA CMMATOSINHOS

A ASAM foi constituída em Novembro de 2007 e é uma associação de solidariedade social cujo objectivo principal é promover a defesa dos direitos e interesses dos surdos, procurando agilizar procedimentos e apoios para facilitar o seu dia-a-dia. Em média, esta Associação apoia cerca de 50 associados surdos.
Com estas novas instalações, a ASASM pretende prestar um maior apoio a portadores desta deficiência, nomeadamente criando centro de dia para idosos; apoiando os jovens na transição entre o fim da escolaridade e o início da vida activa; apoiando pais surdos com filhos ouvintes/falantes em regime de escolaridade, fazendo a ligação de comunicação entre a escola e os pais; proporcionando em regime de voluntariado apoio técnico e jurídico; aproximando a comunidade do concelho à comunidade surda, nomeadamente pelo ensino da linguagem gestual; e criando um grupo de teatro constituído por surdos, um espaço multicultural de partilha de saberes entre idosos e jovens, ateliers de decoração, pintura e gastronomia.
Recorde-se que os cidadãos portadores desta deficiência, pelas suas características, encontram dificuldades diárias de integração na sociedade. A dificuldade em comunicar é uma constante e favorece o isolamento destas pessoas que necessitam de uma atenção acrescida que favoreça a sua integração e minimize os obstáculos diários.

quarta-feira, 20 de maio de 2009

LÍBIA INVESTIGADA PELA AMNISTIA INTERNACIONAL

A organização vai passar uma semana na Líbia. A investigação visa avaliar as condições em que vivem os detidos e a situação dos emigrantes ilegais

A Amnistia Internacional vai enviar um grupo de observadores para a Líbia, para averiguar o respeito existente pelos direitos humanos, nomeadamente nas prisões, divulga a revista Jeune Afrique. A investigação abrange o caso recente do suicídio de um dos responsáveis de Al-Qaïda, que estava preso. Os membros do grupo devem, ainda, analisar as políticas estabelecidas para a questão da emigração clandestina.

MANUEL ALEGRE APRESENTA «DIGAM-ME COMO É UMA ÁRVORE»

Manuel Alegre vai apresentar no próximo dia 28 de Maio o livro «Digam-me Como É Uma Árvore», de Marcos Ana (pseudónio de (Fernando Macarro Castillo). Editado pela Guerra & Paz, a cerimónia está agendada para o Instituto Cervantes de Lisboa e vai contar com a presença do escritor.
São 384 páginas de um grito pela liberdade; 384 páginas onde as palavras servem para não esquecer o horror; 384 páginas que narram uma história que não deve ser esquecida.
Em «Digam-me Como É Uma Árvore», Marcos Ana, poeta e humanista espanhol, relata as suas memórias da prisão (23 anos encarcerado), do exílio e da luta pela liberdade. Na realidade, Fernando Macarro Castillo tornou-se num símbolo da solidariedade internacional e da luta antifranquista.



sábado, 9 de maio de 2009